Você está aqui: Início > Produtos e serviços > ... > Gás em garrafa > Monóxido de carbono
  • PT
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Monóxido de carbono 
 

 

Monóxido de Carbono

Garanta o bem-estar da sua família. Saiba como identificar e lidar com a presença de monóxido de carbono

Para que possa beneficiar de todas as vantagens do Gás Natural, em segurança e com todo o bem-estar, a Galp Energia informa-o sobre os perigos do monóxido de carbono, o que fazer para o prevenir e como agir na sua presença.

1. O que é o monóxido de carbono?

O monóxido de carbono - CO - é um gás tóxico, invisível, sem cheiro ou sabor e que resulta de uma deficiente combustão, qualquer que seja o combustível utilizado: lenha, carvão, gás (butano, propano ou natural), entre outros. A sua presença no ar não é preocupante desde que em níveis baixos.
É de difícil detecção e, a partir de níveis de concentração mais elevados, os seus efeitos nocivos podem manifestar-se rapidamente, levando ao aparecimento de tonturas, náuseas, convulsões, perdas de consciência e, em situações mais graves, à morte.

2. Quais as origens do perigo?

Alguns fatores estão na origem de uma acumulação excessiva de monóxido de carbono, nomeadamente:

  • Interferência do funcionamento do exaustor da cozinha na correta libertação para o exterior dos gases/fumos do esquentador, caldeira, lareira,...
  • Aparelhos de aquecimento ou produção de águas quentes incorretamente montadas ou em deficiente estado de conservação;
  • Insuficiente renovação de ar na habitação e ausência de ventilação adequada no local onde se encontram instalados os aparelhos;
  • Condutas de exaustão ou chaminés obstruídas ou mal dimensionadas não permitirão a correta exaustão dos gases/fumos.

O monóxido de carbono pode acumular-se em espaços fechados e por isso é recomendável especial vigilância em alturas de frio intenso, quando os aparelhos são mais solicitados e a ventilação do local tende a ser menor.

3. Que fazer em caso de suspeita de intoxicação?

Se sentir náuseas, dores de cabeça, tonturas, lembre-se da possibilidade de intoxicação por monóxido de carbono e:

  • Areje imediatamente o local, abrindo portas e janelas;
  • Se possível, desligue todos os aparelhos de combustão (Exemplo: esquentadores, caldeiras, aquecedores móveis a gás ou petróleo, lareira...). Se estiver em funcionamento, desligue igualmente o exaustor da cozinha;
  • Abandone o local;
  • Se alguém estiver com sintomas de intoxicação, contate o Centro de Informação Antivenenos 808 250 143 (24 horas por dia). Em casos graves contate o 112, para solicitar assistência às vítimas;
  • Contacte uma empresa credenciada para a resolução do problema.

4. Como evitar o monóxido de carbono?

Com vigilância e gestos simples:

  • Solicite inspeções periódicas à sua instalação de gás que deverão se realizadas por uma entidade inspetora credenciada pela DGEG. De acordo com a Portaria 362/2000, devem ser efetuadas inspeções de cinco em cinco anos, para instalações de gás domésticas executadas há mais de 20 anos e que não tenham sido objeto de remodelação. Para instalações afetas à atividade industrial, a periodicidade é mais reduzida, de acordo com a respetiva dimensão. Pode ainda solicitar uma inspeção extraordinária sempre que pretenda verificar as boas condições de utilização de gás na sua instalação;
  • A montagem dos aparelhos de queima deve ser sempre efectuada por uma empresa credenciada (consulte a lista de empresas instaladoras/montadoras e das entidades inspectoras credenciadas pela DGEG, em www.dgeg.pt.);
  • Solicite a verificação periódica do funcionamento destes aparelhos;
  • Mantenha a sua habitação arejada e nunca obstrua as entradas de ar;
  • Promova a limpeza das condutas de exaustão e chaminés, uma vez por ano;
  • Se o seu edifício tem instalado um sistema coletivo de extração mecânica, assegure a manutenção e a limpeza periódica da respetiva rede de ventilação e exaustão. Garanta ainda que este se encontra sempre em funcionamento. Caso este sistema tenha que ser temporariamente desligado (por avaria ou manutenção), garanta que não são utilizados os respetivos aparelhos de queima.

 

Podem ser indícios da presença de monóxido de carbono no ambiente:

  • Coloração amarela ou laranja na chama, em vez de azul;
  • Aparecimento de manchas nas condutas de evacuação ou junto a estas, ou descoloramento de aparelhos;
  • Alterações de comportamento ou mesmo morte de pequenos animais de estimação.

Mercado

 
= igual a