Você está aqui: Início > Sustentabilidade > Atuar de forma responsável e ética > Atuar de forma responsável e ética
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Atuar de forma responsável e ética  
Atuar de forma responsável e ética 

Atuar de forma responsável e ética

Na Galp temos o compromisso de atuar de forma responsável e ética, assegurando as melhores práticas de governo e transparência.

Este compromisso é assumido de forma a orientar o nosso caminho e a enfrentar os assuntos de sustentabilidade identificados como materiais.

 

Os nossos compromissos são aprovados pela gestão e compreendidos em toda a Empresa, refletindo a nossa responsabilidade e convicção no tratamento destes temas. 

Reconhecemos que as decisões que tomamos se devem pautar pela ponderação progressivamente integrada dos vários riscos e considerar os direitos e expectativas de quantos são afetados pela nossa atividade. As práticas de governo devem melhorar continuamente, de modo a otimizar a gestão da Empresa e a criação de valor, enfatizando a sua componente de longo prazo. A transparência é um alicerce na construção de relações de confiança na sociedade e crescentemente uma exigência dos stakeholders.

 

Veja o que já fizemos e o que nos propomos a fazer:

 

 

  • Criámos um modelo organizacional que visa a transparência e a eficácia na execução da estratégia e a criação de valor.

 

  • Temos uma Política de Remuneração que estimula o alinhamento da atuação dos administradores executivos com os interesses sustentáveis de longo prazo da Empresa.

 

  • Implementámos códigos e políticas corporativas: gestão de risco; comunicação de irregularidades; combate à corrupção; direitos humanos; remuneração; distribuição de dividendos; comunicação ao mercado; código de ética.

 

  • Publicámos um novo Código de Ética e Conduta, assim como um novo procedimento de comunicação de irregularidades e criámos a Comissão de Ética e Conduta que sucede, no seu objeto, às formalmente extintas Comissão de Verificação de Conformidade com o Código de Ética e Comissão de Acompanhamento da Política de Combate à Corrupção.

 

  • Dispomos de medidas disciplinares aquando do desvio ao cumprimento das normas gerais de conduta estabelecidas no Código de Ética e Conduta e na Política de Combate à Corrupção.

 

  • Criámos uma área de compliance e reforçámos os mecanismos e procedimentos de análise de contrapartes no âmbito de Know your counterparty (KYC) e Know your transaction (KYT).

 

  • Desenvolvemos as competências criticas em matéria de compliance.

 

  • Asseguramos que os Joint Operating Agreements (JOA) dos quais somos parte contêm cláusulas de prevenção do risco de corrupção.

 

  • Dispomos de ferramentas de avaliação das nossas contrapartes no que respeita a matérias de compliance.

 

  • Temos um grupo de trabalho, no âmbito do Comité de Risco, subordinado a temas de compliance, ambiente, qualidade e segurança, e alterações regulatórias.

 

  • Damos formação em gestão de risco, na Academia Galp e em conferências temáticas.

 

  • Aplicamos o conceito do radar Galp, com o qual garantimos a gestão integrada e sistemática dos vários riscos que enfrentamos.

 

  • Dispomos de um programa de auditorias internas para temas como controlo interno, compliance, governance, entre outros e revimos o plano no que respeita aos requisitos específicos sobre direitos humanos, direitos do trabalho e responsabilidade corporativa.

 

  • Temos uma Política Fiscal, na ótica de integração da estratégia do Grupo, salvaguardando a gestão de riscos e a transparência.

 

  • Temos um Comité de Sustentabilidade que reúne quatro vezes por ano e é liderado pelo administrador executivo do respetivo pelouro.

 

  • Assumimos compromissos externos: Fórum Empresas para a Igualdade; Extractive Industries Transparency Initiative (EITI). 

 

 

  • Teremos 30% de mulheres no Conselho de Administração, até 2018.

 

  • Disponibilizaremos a todos os colaboradores, através de uma ferramenta de e-learning, formação sobre as temáticas de sustentabilidade, código de ética, combate à corrupção e salvaguarda dos direitos humanos(em curso).

 

  • Daremos continuidade ao programa de realização de auditorias ao cumprimento do código de ética e combate à corrupção.

 

  • Promoveremos um assessment sobre implementação do Código de Ética e desenvolveremos auditorias periódicas à eficácia do procedimento de comunicação de irregularidades.

 

  • Definiremos e implementaremos o programa geral de compliance do Grupo (2016-2020), ao abrigo do qual iremos desenvolver uma Política de Joint Ventures (JV).

 

  • Sensibilizaremos os colaboradores para a função de compliance do Grupo,  no âmbito do pilar de formação e comunicação do programa de compliance, promovendo ações de formação sobre diversos temas, como o combate à corrupção e as normas internas de compliance (2016-2020). 

 

  • Desenvolveremos os mecanismos de Know Your Counterparty em vigor (no âmbito de Third-Party Dilligence)/Know Your Transaction, através da utilização de tecnologias de informação promovendo o alinhamento com as melhores práticas internacionais.

 

  • Reforçaremos a participação em organismos nacionais e internacionais com orientação para os temas de compliance, ética e corrupção.

 

  • Efetuaremos uma avaliação das implicações do Ruggie Framework nas áreas geográficas de maior sensibilidade/risco nesta matéria (em curso).

 

  • Definiremos critérios e métodos para resposta a informação pública adversa de cariz jurídico sobre a Galp.

 

  • Garantiremos a publicação de normativo interno que regule a atuação perante práticas enganosas na atividade de contratação de clientes de gás natural (2016)

 

3. Inovação, investigação e desenvolvimento e promoção de tecnologias eficientes

    Objetivos Estratégicos > Linhas de Orientação

    • Assegurar que a estratégia de inovação e investigação inclui áreas de atuação relacionadas com as alterações climáticas.
    • A companhar as tecnologias emergentes e compreender o impacto no negócio e nos diferentes mercados.
    • Promover a investigação e maximizar a produção de biocombustíveis.
    • Promover a investigação, desenvolvimento e implementação de serviços e soluções inovadoras, visando a melhoria da eficiência energética nas operações, nos clientes e parceiros.

    Medidas

    • Alocar ao plano estratégico de I&D para as atividades de E&P no Brasil um budget específico para o desenvolvimento de projetos relacionados com a eficiência energética e com a mitigação das emissões de gases com efeito de estufa (GEE).
    • Acréscimo anual de 5% de clientes com acesso a ofertas de eficiência energética (green customers) face ao ano anterior.
    • Estabelecer parcerias com a comunidade científica e tecnológica nacional e internacional para a realização de projetos específicos de eficiência energética e mitigação das emissões de GEE, nomeadamente:
      – programa Galp 20-20-20;
      – formação avançada (doutoramentos) aos colaboradores da Galp Energia;
      – em áreas específicas relacionadas com a eficiência energética e mitigação de emissões.
    • Através da implementação do programa Galp 20-20-20, atingir uma redução de 10% a 15% do consumo de energia (relativamente ao baseline antes do projeto).
    • Produzir matérias-primas para biocombustíveis, nomeadamente óleo de palma (Brasil – projeto Belém).
    • Produzir biodiesel:
      – a partir de matérias-primas residuais não-alimentares (Portugal – projeto Enerfuel);
      – de segunda geração através da tecnologia de coprocessamento de óleo vegetal hidrotratado (HVO) (Portugal – Refinaria de Sines).
    • Atingir, em 2020, os 10% de substituição por fontes de energia renovável (FER) nos combustíveis para os transportes rodoviários, garantindo um mínimo de 60% de redução das emissões de GEE no ciclo de vida.
4. Antecipação de tendências e expectativas de stakeholders no âmbito da energia e clima

    Objetivos Estratégicos > Linhas de Orientação

    • Assegurar a inclusão do tema “alterações climáticas” no processo de envolvimento e acompanhamento das expectativas dos stakeholders relevantes.
    • Antecipar o impacto das tendências do sector e criar uma participação ativa em processos de decisão política, no âmbito das alterações climáticas.
    • Monitorizar e comunicar a pegada de carbono da Galp Energia e promover a adoção de práticas que minimizem as respetivas emissões.

    Medidas

    • Participar em grupos de trabalho e discussão de novas normas/regulamentos/leis para antecipar tendências e assegurar o cumprimento de todas as novas exigências legais [por exemplo, CONCAWE (ADH – Marine Fuels; ADH – Aviation Fuels), Europia, APETRO, Comissão Sectorial de Normalização para GN no sector dos transportes, etc.].
    • Realizar análise de materialidade das categorias a incluir na pegada de carbono (incluindo âmbito 3 – upstream e downstream).


Atualizado em: 22 Abr 2016

Ação Galp Energia

+ informação »

 

Políticas e Códigos

 

Consulte os nossos relatórios

 
= igual a