Você está aqui: Início > Sustentabilidade > Envolver as partes interessadas > Diálogo com stakeholders
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Diálogo com stakeholders  
 

Na Galp, o relacionamento com as partes interessadas proporciona-nos oportunidades de aprendizagem, criação de valor partilhado, maior proximidade e confiança, redução do risco de conflitos e tomadas de decisão informadas.

Na Galp realizamos, desde 2010, um procedimento formal corporativo de auscultação de stakeholders  sobre assuntos relacionados com sustentabilidade. Neste procedimento são identificados e priorizados os principais stakeholders e temas relevantes de sustentabilidade, em alinhamento com os critérios da norma AA1000 Stakeholder Engagement Standard da AccountAbility (AA1000SES).

 

Em 2014, e renovando o processo de 2012, desenvolvemos um novo exercício corporativo de envolvimento e auscultação de stakeholders. Este processo esteve subordinado à identificação das expetativas e perceções das nossas partes interessadas em matéria de sustentabilidade, e à revisão da nossa matriz de materialidade. A Galp tem previsto realizar em 2018 um novo processo formal de auscultação de stakeholders, transversal a toda a Empresa.

 

O processo de envolvimento e auscultação de stakeholders respeita três fases distintas:

 

1. mapeamento e seleção de stakeholders;
2. auscultação de stakeholders;
3. análise de resultados.

 

 

Saiba mais sobre as diferentes fases do processo de envolvimento e auscultação de stakeholders.

 

 

 


Na Galp, gerimos, caracterizamos e envolvemo-nos com um conjunto alargado de stakeholders que, de acordo com o mapeamento realizado, se inscrevem nos seguintes grupos:

  

 

 

 

 

A identificação e mapeamento de stakeholders é realizada, de forma periódica e sistemática, através da atribuição do nível de prioridade a cada stakeholder, utilizando os critérios de influência e dependência, da metodologia da AA1000 Stakeholder Engagement Standard da AccountAbility (AA1000SES).

 

Com base nos grupos e subgrupos de stakeholders definidos no mapeamento, conduzimos o levantamento de informação (que envolve toda a Organização) para caracterizarmos detalhadamente as nossas partes interessadas, em relação aos seguintes aspetos:

 

- modelo de gestão de canais de comunicação

- análise SWOT do relacionamento;

- aspetos relevantes de sustentabilidade;

- influência e dependência;

- estratégia de auscultação.

 

A auscultação de stakeholders assenta num questionário organizado em cinco secções, com o objetivo de aferir a perceção dos stakeholders sobre o desempenho da empresa, sobre a relevância que atribui aos diversos temas de sustentabilidade, sobre o reporte de sustentabilidade, sobre índices, rankings e iniciativas de sustentabilidade e, também, sobre o modelo de relacionamento da Empresa com as partes interessadas.

 

A recolha desta informação é realizada através da aplicação de um questionário específico de auscultação, em plataforma online, via entrevista individual (presencial, via telefone ou videoconferência) ou através de sessões de focus group.

 

 

ESTRUTURA DO QUESTIONÁRIO DE AUSCULTAÇÃO DE STAKEHOLDERS

 

Secção

 

Objetivo 

A. Sustentabilidade e estratégia na Galp

Aferir a perceção sobre o desempenho de sustentabilidade da Galp e a reputação e imagem da Organização. 

B. Temas importantes

Recolher inputs para o processo de definição de temas prioritários (análise de materialidade).

C. Reporte de sustentabilidade

Avaliar o grau de conhecimento que os stakeholders tem sobre as práticas de sustentabilidade da Galp, o meio utilizado para obter a informação, a relevância atribuída à existência de um relatório integrado, entre outros. 

D. Índices, rankings e iniciativas

Aferir como o stakeholder valoriza a integração e participação da Galp em diversos índices, rankings e iniciativas de sustentabilidade. 

E. Relacionamento com stakeholders

Avaliar o nível de envolvimento dos stakeholders com a Galp e a qualidade desse relacionamento.

 

 

O último exercício de auscultação abrangeu mais de 600 respostas, o que constitui uma amostra representativa do universo das nossas partes interessadas, nos vários segmentos de negócio e nas várias zonas geográficas onde a Galp desenvolve as suas atividades.

 

A Galp dispõe de outros meios específicos de auscultação regular dos seus stakeholders, nomeadamente: satisfação de clientes; diagnóstico do clima organizacional; avaliação de fornecedores; e recolha de feedback em eventos organizados pela Galp (e.g. Encontro de Quadros, Dia de Sustentabilidade, Capital Markets Day).

 

 

A análise dos dados recolhidos do processo de auscultação foi realizada com base na atribuição de uma ponderação, ao nível do grupo de stakeholders e das Unidades de Negócio/Unidades de Gestão (UN/UG), sendo as respostas obtidas consolidadas ao nível de cada UN/UG e depois do Grupo Galp.

 

Na Galp, entendemos que os resultados da auscultação de stakeholders são uma fonte útil de informação utilizada na identificação e priorização dos temas materiais da Galp. Por esse motivo, esses resultados são de grande importância, e contribuem para estreitarmos as nossas relações com os stakeholders, realinharmos estratégias de envolvimento como os mesmos e procedermos à avaliação da materialidade dos aspetos de sustentabilidade.

 

Saiba mais sobre a nossa Abordagem à Materialidade.

4. Antecipação de tendências e expectativas de stakeholders no âmbito da energia e clima

Objetivos Estratégicos > Linhas de Orientação

  • Assegurar a inclusão do tema “alterações climáticas” no processo de envolvimento e acompanhamento das expectativas dos stakeholders relevantes.
  • Antecipar o impacto das tendências do sector e criar uma participação ativa em processos de decisão política, no âmbito das alterações climáticas.
  • Monitorizar e comunicar a pegada de carbono da Galp Energia e promover a adoção de práticas que minimizem as respetivas emissões.

Medidas

  • Participar em grupos de trabalho e discussão de novas normas/regulamentos/leis para antecipar tendências e assegurar o cumprimento de todas as novas exigências legais [por exemplo, CONCAWE (ADH – Marine Fuels; ADH – Aviation Fuels), Europia, APETRO, Comissão Sectorial de Normalização para GN no sector dos transportes, etc.].
  • Realizar análise de materialidade das categorias a incluir na pegada de carbono (incluindo âmbito 3 – upstream e downstream).


Atualizado em: 02 Mar 2017