fechar
partilhar
 
fechar
 

Brasil 
 

Durante o ano de 2009 arrancou no Pará o Projeto Belém que visa, em joint venture com a Petrobras, a produção de óleo de Palma

O Estado do Pará é considerado socialmente pobre, a agricultura desempenha um papel de pouca relevância e a pecuária está a perder a sua importância pela deterioração de solos e pastagens, acentuando o forte desequilíbrio social, económico e ambiental que já se verifica na região.

 

Assim, o caráter perene da cultura da Palma, com uma vida útil que pode atingir 40 anos com as novas variedades, com a colheita distribuída ao longo do ano, confere aos trabalhadores rurais e às famílias uma ocupação regular ao longo do ano, o que dá cumprimento às preocupações sociais e económicas da região onde o projeto está implementado, pois existe um contributo real para a melhoria das condições de vida das populações:

  • Em velocidade cruzeiro o projeto criará 9000 empregos (diretos e indiretos);
  • A curto/médio prazo o projeto promoverá o envolvimento de famílias de agricultores para a produção de Palma proporcionando uma renda estável por família que rondará cerca de quatro salários mínimos/mês, ao contrário do que atualmente acontece - em média, cada família aufere meio salário/mês. A componente familiar do projeto contempla a compra da produção de até 2000 famílias;
  • Está ainda prevista a criação de instalações sociais nos complexos agro-industriais para apoiar os trabalhadores rurais e suas famílias, como escolas, postos de saúde e creches apoiadas pela respetiva assistência social.

 

Também a sustentabilidade ambiental está assegurada através das diversas ações levadas a cabo tendo em vista a preservação e a recuperação do meio ambiente:

  • O projeto irá ocupar e recuperar áreas degradadas pela ação humana, anteriormente desmatadas e agora abandonadas à erosão, promovendo o reflorestamento com a cultura de palma;
  • As áreas que ainda não foram desmatadas, serão protegidas tentando impedir o alastrar desse flagelo;
  • A análise do ciclo de vida (LCA) aplicada às condições reais em que este projeto se desenvolve, aponta a produção de biodiesel de segunda geração com economias de 68% comparativamente com o combustível fóssil correspondente (gasóleo rodoviário fóssil), o que representa uma melhoria substancial face aos 39% de redução que se registam com o atual biodiesel de primeira geração utilizado em Portugal.


Atualizado em: 01 Mar 2012

Ação Galp Energia

+ informação »
 
= igual a