Você está aqui: Início > Sobre nós > ... > Órgãos sociais > Comissão Executiva
     
fechar
partilhar
 
fechar
 

Comissão Executiva  
 

A Comissão Executiva é um órgão executivo mandatado pelo Conselho de Administração e constituído por sete dos seus membros
No atual mandato (2012-2014), a comissão executiva tem a seguinte constituição:
Presidente Executivo Presidente executivo | Manuel Ferreira De Oliveira

Manuel Ferreira De Oliveira é o vice-presidente do Conselho de Administração da Galp Energia desde abril de 2006 e presidente executivo da Galp Energia desde janeiro de 2007.

ver biografia » esconder biografia »

Manuel Ferreira De Oliveira é o vice-presidente do Conselho de Administração da Galp Energia desde abril de 2006 e presidente executivo da Galp Energia desde janeiro de 2007. Antes de ingressar na Galp Energia, foi presidente do Conselho de Administração e presidente executivo da Unicer – Bebidas de Portugal, SGPS, S.A. entre 2000 e 2006, presidente do Conselho de Administração e presidente executivo da Petrogal de 1995 a 2000, de 1980 a 1995 teve responsabilidades executivas na Lagoven, S.A. (participada da Petróleos de Venezuela, S.A. – PDVSA, ex-Creole Petroleum Corporation, subsidiária da Exxon), nas áreas de Produção, Refinação, Comércio Internacional e Planeamento Corporativo, incluindo responsabilidades como CEO e/ou membro do Conselho de Administração da BP Bitor Energy (Londres), Nynäs Petroleum (Estocolmo), Ruhr Oil (Dusseldorf) e PDV Serviços (Haia). Entre outras funções não executivas que exerce é, atualmente, vice-presidente do Conselho Geral da Universidade do Porto. Ferreira De Oliveira é licenciado em engenharia eletrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, possui o grau de Master of Science (MSc) em Energia pela Universidade de Manchester, é Doutorado (PhD) também na área de Energia pela mesma Universidade e obteve o grau de Professor Agregado pela Universidade do Porto, onde, em 1979, se tornou Professor Catedrático; a sua formação em Gestão teve lugar, essencialmente, em programas do IMD – Suíça, da Harvard e da Wharton Business School – USA.

Vice-Presidente executivo (COO) Vice-presidente executivo (COO) | Luís Palha da Silva

Luís Palha da Silva é vice-presidente do Conselho de Administração e vice-presidente da Comissão Executiva, desde julho de 2012, sendo responsável pela unidade de negócio Refinação e Distribuição da Galp Energia.

ver biografia » esconder biografia »

Luís Palha da Silva é vice-presidente do Conselho de Administração e vice-presidente da Comissão Executiva, desde julho de 2012, sendo responsável pela unidade de negócio Refinação e Distribuição da Galp Energia. É também membro não-executivo do Conselho de Administração e presidente da Comissão de Responsabilidade Corporativa da Jerónimo Martins, SGPS, S.A. e é presidente da AEM (Associação dos Emitentes Portugueses). Antes de ingressar na Galp Energia foi presidente da Comissão Executiva (CEO) da Jerónimo Martins, SGPS, S.A. entre 2004 e 2010 e foi administrador financeiro (CFO) da mesma empresa entre 2001 e 2004. Luís Palha da Silva é licenciado em economia pelo Instituto Superior de Economia, licenciado em gestão de empresas pela Universidade Católica Portuguesa e AMP pela University of Pennsylvania, Wharton School of Economics.

Administrador Executivo (CFO) Administrador executivo (CFO) | Filipe Crisóstomo Silva

Filipe Crisóstomo Silva é membro do Conselho de Administração e administrador financeiro (CFO) da Galp Energia desde julho de 2012.

ver biografia » esconder biografia »

Filipe Crisóstomo Silva é membro do Conselho de Administração e administrador financeiro (CFO) da Galp Energia desde julho de 2012. Antes de ingressar na Galp Energia foi responsável, desde 1999, pelas áreas de investment banking do Deutsche Bank em Portugal, acumulando desde 2008 com as funções de presidente da direção (Chief Country Officer) do Deutsche Bank em Portugal. Filipe Crisóstomo Silva é licenciado em economia e gestão financeira e mestrado em gestão financeira ambas pela The Catholic University of America.

Administrador executivo (COO) Administrador executivo (COO) | Carlos Nuno Gomes da Silva

Carlos Gomes da Silva é membro do Conselho de Administração da Galp Energia desde abril de 2007 e membro da Comissão Executiva desde maio de 2008, sendo responsável pelo segmento de negócio de Gas & Power.

ver biografia » esconder biografia »

Carlos Gomes da Silva é membro do Conselho de Administração da Galp Energia desde abril de 2007 e membro da Comissão Executiva desde maio de 2008, sendo responsável pelo segmento de negócio de Gas & Power. Atualmente, é também membro do Conselho de Administração da Amorim Investimentos Energéticos, SGPS, S.A. e da Amorim Energia, B.V.Antes de ingressar na Empresa, teve responsabilidades executivas na Unicer Bebidas de Portugal, SGPS, S.A. onde foi membro do Conselho de Administração entre 2006 e 2007 e teve responsabilidades executivas no grupo Américo Amorim entre abril de 2007 e maio de 2008. Entre 2003 e 2007 foi presidente da Associação Portuguesa dos Industriais de Águas Minerais Naturais e de Nascente e vice-presidente da Associação Nacional de Indústrias de Refrigerantes e Sumos de Fruta entre 2005 e 2007. Carlos Gomes da Silva é licenciado em engenharia eletrotécnica e de computadores pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e tem um Master in Business Administration pelo Instituto Empresarial Portuense e pela Escuela Superior de Administración y Dirección de Empresas de Barcelona em julho 1995.

Administrador executivo (COO) Administrador executivo (COO) | Stephen Whyte

Stephen Whyte é membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Galp Energia desde abril de 2012., sendo responsável pelo segmento de negócio de Exploração & Produção.

ver biografia » esconder biografia »

Stephen Whyte é membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Galp Energia desde abril de 2012., sendo responsável pelo segmento de negócio de Exploração & Produção. Antes de ingressar na Empresa foi vice-presidente sénior na área comercial da BG Group para as regiões da Europa e Ásia Central, foi vice-presidente da Shell EP no Brasil e gestor de joint-ventures e infraestruturas da Shell EP Europe. Stephen Whyte é licenciado com distinção em geofísica pela Universidade de Edimburgo.

Administrador executivo (CCO) Administrador executivo (CCO) | Carlos Manuel Costa Pina

Carlos Costa Pina é membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Galp Energia desde abril de 2012, sendo responsável pelos serviços corporativos e pelo segmento de negócio de Biocombustíveis.

ver biografia » esconder biografia »

Carlos Costa Pina é membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Galp Energia desde abril de 2012, sendo responsável pelos serviços corporativos e pelo segmento de negócio de Biocombustíveis. Atualmente é também docente na Faculdade de Direito de Lisboa, onde prepara o seu doutoramento. Anteriormente  exerceu funções em empresas de TMT, imobiliário e serviços do grupo Ongoing (Portugal e Brasil). Foi secretário de Estado do Tesouro e Finanças do XVII e XVIII Governos Constitucionais (2005-2011), tendo assumido por inerência funções em diversas instituições financeiras internacionais. Foi ainda administrador da CMVM (2000-2005), membro do Conselho Consultivo do Instituto de Seguros de Portugal (2001-2005), e advogado com prática legal, designadamente, na área de exploração e produção de petróleo (1994-1998). Autor de diversos trabalhos publicados, Carlos Costa Pina é licenciado em Direito e mestre em Ciências Jurídico-Empresariais pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Administrador executivo (CCO) Administrador executivo (CCO) | José Carlos da Silva Costa

José Carlos da Silva Costa é membro do Conselho de Administração desde novembro de 2012 e da Comissão Executiva da Galp Energia desde dezembro de 2012, sendo responsável pelos serviços corporativos.

ver biografia » esconder biografia »

José Carlos da Silva Costa é membro do Conselho de Administração da Galp Energia, desde novembro de 2012 e membro da Comissão Executiva desde dezembro de 2012. Nos últimos cinco anos, foi diretor central de compras e gestão de ativos da Galp Energia, em 2012, responsável de compras das unidades E&P, Refinação, Logística e Projetos da Galp Energia, entre 2010 e 2012, responsável de compras das unidades Gás Natural, Power e Projetos da Galp Energia, entre 2009 e 2010, responsável pela proposta de restruturação organizacional do serviço de Compras, entre 2008 e 2009, responsável de compras para os projetos de conversão das refinarias de Sines e Matosinhos entre 2007 e 2008. José Carlos da Silva Costa detém o bacharelato em engenharia química, pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto.

O Conselho de Administração, eleito para o mandato 2012-2014, designou uma Comissão Executiva composta por seis membros

De acordo com os estatutos, a Comissão Executiva pode ser composta por cinco a sete administradores, incluindo o seu presidente ou Chief Executive Officer (CEO), que são designados pelo Conselho de Administração para um período até três anos que coincide com o dos membros do Conselho de Administração.

 

A Comissão Executiva reúne validamente se estiver presente a maioria dos seus membros. Nos termos legais e estatutários, as deliberações da Comissão Executiva são tomadas com os votos da maioria dos administradores presentes. A comissão executiva é o órgão responsável pela gestão corrente da Galp Energia, de acordo com linhas de orientação estratégicas definidas pelo Conselho de Administração.

 

Ao abrigo dos poderes que lhe são delegados pelo Conselho de Administração, nos termos dos estatutos, a comissão executiva conduz o desempenho das várias unidades de negócio e serviços corporativos, a supervisão do conjunto destas unidades, promove sinergias entre estas, afeta recursos críticos, gere os recursos humanos, define a estratégia da marca e fiscaliza a concretização dos objetivos definidos, estabelecendo, nesse sentido, políticas transversais a toda a Empresa.

 

Ao presidente da Comissão Executiva cabe convocar e dirigir as reuniões da Comissão Executiva, zelar pela boa execução das suas decisões e coordenar as atividades deste órgão bem como assegurar a prestação de informação permanente e contínua aos administradores não executivos.

 

Função de gestão corrente da Sociedade

Com exceção das matérias que competem exclusivamente aos acionistas reunidos em Assembleia Geral e ao Conselho de Administração, a Comissão Executiva, de acordo com as competências que lhe foram delegadas pelo Conselho de Administração, é o órgão de gestão da atividade corrente da Sociedade e desenvolverá a sua atividade, atendendo ao interesse da Sociedade e dos acionistas e demais stakeholders, para este efeito considerados no seu conjunto e não individualmente, cumprindo em todas as circunstâncias a legislação aplicável, e atendendo aos valores e modelos de conduta geralmente aceites no mercado.

 

A Comissão Executiva deverá ainda submeter ao Conselho de Administração os assuntos que, pela sua relevância, considere justificarem a aprovação por este órgão.

A delegação da gestão corrente na Comissão Executiva foi aprovada na reunião do Conselho de Administração de 6 de maio de 2008, tendo-lhe sido especificamente atribuídos diversos poderes, que passamos a detalhar

Por decisão do Conselho de Administração, a Comissão Executiva foi incumbida de:

  • Gerir os negócios sociais e praticar todos os atos e operações relativas às atividades principais da Sociedade (consideram-se como atividades principais: exploração e produção, refinação, transporte e distribuição de petróleo e seus derivados e de gás e produção e comercialização de energia elétrica) que não caibam na reserva de competência exclusiva do Conselho de Administração e não excedam os poderes aqui conferidos;
  • Representar a Sociedade em juízo e fora dele, ativa e passivamente, podendo desistir, transigir e confessar em quaisquer pleitos e, bem assim, celebrar convenções de arbitragem;
  • Adquirir, vender ou por qualquer forma, alienar ou onerar direitos, designadamente os incidentes sobre participações sociais e bens imóveis (exceto investimentos e desinvestimentos estratégicos da Sociedade, bem como das sociedades por esta controladas, que constituem reserva de competência exclusiva do Conselho de Administração) e sempre dentro do âmbito das atividades principais da Sociedade, cujos montantes não excedam os seguintes limites:

          - €50 milhões, no caso de operações previstas nos planos e orçamentos aprovados pelo conselho de

            administração e em vigor, exceto investimentos estratégicos e respetivos financiamentos que constituem reserva

            de competência exclusiva do conselho de administração;

          - o menor entre 20% das verbas inscritas no orçamento anual ou no plano de negócios para o item orçamental em

            concreto e 10% do orçamento anual, no caso de operações não estratégicas que não se encontrem previstas no

            orçamento anual ou no plano de negócios.

  • Autorizar as sociedades controladas a realizar investimentos dentro dos limites da respetiva autonomia de gestão conforme estes sejam definidos pelo Conselho de Administração;
  • Desenvolver a orgânica técnico administrativa da Sociedade e do Grupo e as normas de funcionamento interno, designadamente sobre pessoal e sua remuneração, com base nas deliberações do Conselho de Administração que definem a estrutura de gestão e organizativa básicas da Sociedade e do Grupo;
  • Proceder a quaisquer extensões ou reduções da atividade da Sociedade e do Grupo, em conformidade com os planos e estratégias previamente aprovados pelo conselho de administração e com sujeição aos limites de atuação definidos no art.º 18.º dos estatutos;
  • Introduzir quaisquer modificações na organização da Empresa e do Grupo, criar ou encerrar sucursais, delegações e outras formas de representação, em Portugal ou no estrangeiro, que não envolvam alterações aos estatutos nem operações de cisão, fusão ou liquidação de sociedades controladas pela Sociedade e outras matérias que, nos termos estatutários, constituam reserva de competência exclusiva do Conselho de Administração;
  • Emitir instruções vinculativas às administrações das sociedades controladas, com respeito pelas deliberações do Conselho de Administração relativas à definição da sua autonomia de gestão fixando, designadamente:

          - as matérias de reserva de competência exclusiva da Galp Energia;

          - os limites de assunção de compromissos e encargos, previstos ou não nos planos e orçamentos aprovados e em

            vigor;

          - as regras que deverão reger as operações intra Grupo.

  • Estabelecer ou cessar cooperações duradouras e importantes com os parceiros estratégicos escolhidos pelo Conselho de Administração no uso da reserva de competência exclusiva definida nos estatutos, bem como com outras empresas, em conformidade com os planos e estratégias previamente aprovados pelo Conselho de Administração;
  • Designar os representantes da Galp Energia nas assembleias gerais das pessoas coletivas onde a Empresa tenha participação social ou qualidade de sócio, e dar-lhes as necessárias instruções de atuação, exceto quanto à apresentação e votação, nas assembleias gerais de sociedades diretamente controladas pela Sociedade, de propostas tendentes à constituição ou recomposição dos respetivos órgãos sociais, à alteração de estatutos e à distribuição de dividendos, matérias que, nos termos estatutários, constituem reserva de competência exclusiva do Conselho de Administração;
  • Constituir mandatários, com os poderes que julgar convenientes e dentro dos limites de atuação fixados pelos estatutos e pela presente deliberação.
A Comissão Executiva é um órgão executivo mandatado pelo Conselho de Administração e constituído por seis dos seus membros

No atual mandato (2008-2010), a comissão executiva tem a seguinte constituição:

 

 

Presidente Executivo | Manuel Ferreira De Oliveira

Licenciado em engenharia eletrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, possui o grau de Master of Science em energia pela Universidade de Manchester, é doutorado nesta área pela mesma universidade.

 

 

 

 

Chief Financial Officer | Claudio De Marco

Licenciado em ciências económicas e banca pela Universidade de Siena, Mestre em controlo de gestão pela Universidade SDA Bocconi.

 

 

 

 

 

Vogal | Fernando Manuel dos Santos Gomes

Licenciado em economia e professor catedrático convidado da Universidade Lusíada do Porto.

 

 

 

 

Vogal | André Freire de Almeida Palmeiro Ribeiro

Licenciado em Administração e Gestão de Empresas pela Universidade Católica de Lisboa. Desempenhou funções de gestão no Credit Suisse First Boston, em Londres, incluindo as de director (2003-2005).

 

 

 

 

Vogal | Carlos Nuno Gomes da Silva

Licenciado em engenharia eletrotécnica e de computadores pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e Master in Business Administration.

 

 

 

 

Vogal | Fabrizio Dassogno

Licenciado em engenharia civil pela Universidade de Bolonha. Desempenha funções como Presidente do Conselho de Administração da Galp Gás Natural, S. A., da Galp Power e da Galp Central de Ciclo Combinado de Sines, S. A.

 

 

Acerca deste conteúdo recomendamos que consulte:



Atualizado em: 07 Out 2013

Ação Galp Energia

+ informação »
 
= igual a