Você está aqui: Início > Sobre nós > ... > Cronologia ilustrada > Cronologia ilustrada
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

 Cronologia ilustrada 

 

Cronologia Ilustrada da Galp Energia

2000 à atualidade

2008 | Projetos de conversão das refinarias

Projetos de conversão das refinarias
Arrancam os projetos de conversão das refinarias de Sines e do Porto.

2008 | Alienação das ações Galp Energia pela Iberdrola

Iberdrola aliena ações Galp Energia
A Iberdrola procede à alienação da totalidade das ações da Galp Energia de que era titular, representativas de 3,8314% do capital social, a investidores qualificados institucionais.

2008 | Aquisição das filiais ibéricas da Agip e da ExxonMobil

Aquisição das filiais ibéricas da Agip e da ExxonMobil
Aquisição das filiais Ibéricas de distribuição de produtos petrolíferos da Agip e da ExxonMobil.

2007 | Comercialização de gás natural em Espanha

Galp Energia obtém licença de comercialização
Galp Energia obtém licença de comercializadora de gás natural em Espanha.

2007 | E&P em Moçambique e Timor-Leste

E&P em Moçambique e Timor-Leste
Entrada no negócio de Exploração & Produção em Moçambique e Timor-Leste, com uma participação de 10%, em 1 e 5 blocos, respetivamente.

2007 | Ventinveste autorizado a produzir energia elétrica

Consórcio obtém adjudicação para produzir energia em centrais eólicas
O consórcio Ventinveste, liderado pela Galp Energia com 33,34%, obtém a adjudicação de 400 MW de capacidade de injeção e os respetivos pontos de receção associados à produção de energia elétrica em centrais eólicas, ao abrigo da “Fase B” do concurso público lançado pelo Governo português.

2007 | Descoberta Tupi

Confirmação do potencial da descoberta Tupi
Confirmação do potencial de volumes recuperáveis da descoberta Tupi, no bloco BM-S-11 na bacia de Santos no Brasil, entre 5 a 8 mil milhões de barris de petróleo e gás natural, uma das maiores descobertas dos últimos 30 anos.

2007 | Reinício das atividade E&P em Portugal

Reinício das atividades de E&P em Portugal
Reinício das atividades de exploração e produção em Portugal com a assinatura de dois contratos de concessão com o Estado português para exploração de sete blocos.

2007 | Central Ciclo Combinado de Sines

Licença de produção para Central Ciclo Combinado de Sines
Galp Energia obtém licença de produção para a Central de Ciclo Combinado em Sines constituída por dois grupos com a potência unitária de 400 MW.

2006 | ERSE aprova regulação do setor

ERSE aprova regulação do setor
Aprovação, pela ERSE, da nova regulação do setor do gás natural.

2006 | Venda das atividades reguladas à REN

Venda das atividades reguladas à REN
Concretização do processo de separação das atividades reguladas no setor do gás natural, incluindo o transporte e armazenamento de gás natural e a regaseificação e armazenamento de gás natural liquefeito, com a venda destas atividades à REN – Redes Energéticas Nacionais, S.A.

2006 | Grupo Amorim atinge participação de 33,34%

Grupo Amorim atinge participação de 33,34%
O Grupo Amorim atinge uma participação no capital social da Galp Energia de 33,34%.

2006 | Entrada em Bolsa

Galp Energia entra em Bolsa
Entrada da Galp Energia em Bolsa com uma dispersão de capital de 23%, alienado pelo Estado português.

2006 | CGD integra Acordo Parassocial

CGD integra Acordo Parassocial
A Caixa Geral de Depósitos, S.A. adquire 1% do capital social da Galp Energia, SGPS, SA, anteriormente detido pela Amorim Energia, B.V., passando a fazer parte do Acordo Parassocial.

2005 | Acordo Parassocial

Acordo Parassocial entre Amorim Energia, ENI e REN
Celebração de um acordo parassocial entre os acionistas Amorim Energia, ENI e REN.

2005 | Entrada do Grupo Amorim no capital social

Entrada do Grupo Amorim no capital social
Entrada do grupo Amorim no capital social da Galp Energia com a aquisição de 14,268% à EDP.

2003 | Privatização da Galp Energia

Terceira fase do processo de privatização
Aprovada a terceira fase do processo de privatização da Galp Energia, na sequência do qual a REN adquiriu 18,3% do capital social da Galp Energia, dos quais 13,5% foram adquiridos à Caixa Geral de Depósitos, S.A. e os restantes 4,8% ao Estado português.

2003 | Ligação do terminal de Sines à rede nacional

Ligação do terminal de Sines à rede nacional
Conclusão dos investimentos no terminal de gás natural liquefeito em Sines e ligação desta infraestrutura à rede nacional através do gasoduto Sines-Setúbal.

2002 | Aquisição de 5% da CLH

Aquisição de 5% da CLH
Aquisição de 5% da CLH – Compañia Logística de Hidrocarburos, S.A., que facilitou o desenvolvimento de uma estratégia de logística no mercado espanhol, permitindo levantar produtos em 15 parques de armazenamento disseminados por Espanha.

2002 | Central de cogeração da Energin

Arranque da central de cogeração
Arranque da operação da central de cogeração da Energin, com uma capacidade de 42 MW, na qual a Galp Energia tem uma participação de 35%.

2001 | Substituição do gás de cidade em Lisboa

Conclusão da substituição por gás natural
Conclusão da substituição do gás de cidade por gás natural em Lisboa, e da construção de uma caverna de armazenamento de gás propano, em Sines.

2000 | Privatização da Galp Energia

Segunda fase do processo de privatização
Início da segunda fase do processo de privatização da Galp Energia, na sequência do qual as empresas Eni, S.p.A. e Iberdrola, S.A. assinaram com o Estado português contratos de compra e venda de ações, adquirindo 11% e 4%, respetivamente, do capital da Galp Energia. Simultaneamente, a Petrocontrol alienou a totalidade da sua participação na Galp Energia, tendo o grupo Eni, S.p.A. adquirido 22,34% e a EDP - Energias de Portugal, S.A. 11,0%.

2000 | Terminal de Sines

Preparação da construção do terminal de gás natural liquefeito
Início dos trabalhos de preparação do terreno para a construção do terminal de gás natural liquefeito, em Sines.

de 1990 a 1999

1999 | E&P no Brasil

E&P no Brasil
Entrada no negócio de Exploração & Produção no Brasil através da participação na segunda rodada para atribuição de direitos exploratórios, com a obtenção, juntamente com a Petrobras, da concessão de duas participações de 10% em blocos localizados nas águas ultra-profundas da Bacia de Santos.

1999 | Galp Energia

Constituição da Galp Energia
É constituída a Galp Energia, agregando os negócios da Petrogal e da GDP, como um veículo de reestruturação do setor energético em Portugal, nas áreas do petróleo e gás natural, totalmente detida pelo Estado português.

1999 | Privatização da Galp Energia

Início da privatização
Início do processo de privatização da Galp Energia, com a abertura do capital da empresa aos restantes acionistas da Petrogal e da Transgás. Assim, em 31 de dezembro de 1999, foi concretizado um aumento do capital social subscrito pela Petrocontrol, SGPS, S.A., EDP - Energias de Portugal, S.A., Caixa Geral de Depósitos, S.A., Portgás e Setgás.

1997 | Projeto do Gás Natural

GDP dinamiza projeto
A GDP assume a liderança estratégica do setor e dinamiza o Projeto do Gás Natural.

1997 | CLC

CLC entra em funcionamento
Entrada em funcionamento da CLC – Companhia Logística de Combustíveis de Portugal, incluindo um oleoduto multi-produto, com 147 km, entre a refinaria de Sines e o parque de armazenagem de Aveiras.

1996 | Chegada do gás natural

Gás natural chega à fronteira
Chegada do gás natural à fronteira portuguesa.

1996 | 1ª compra de gás natural

Primeira compra de gás natural
Primeira compra de gás natural efetuada pela Transgás.

1995 | GDP - Gás de Portugal, SGPS, S.A.

Constituição da holding GDP - Gás de Portugal, SGPS, S.A.
É constituída a holding GDP - Gás de Portugal, SGPS, S.A., congregando as participações em todas as concessionárias de distribuição e transporte de gás natural.

1994 | Central de Ciclo Combinado a gás natural

1ª Central de Ciclo Combinado a gás natural em Portugal

Assinatura do contrato de venda de gás natural para produção elétrica, 1ª Central de Ciclo Combinado a gás natural em Portugal.

1994 | Projeto de gás natural

Início da construção do projeto em Portugal
Início da construção do projeto de gás natural em Portugal. A Transgás inicia a construção do gasoduto de alta pressão, rede principal, entre Setúbal e Braga - 350 quilómetros.

1993 | Contrato de concessão

Assinatura de contrato com Estado português
Assinatura do contrato de concessão de importação, transporte, armazenagem e fornecimento de gás natural entre o Estado português e a Transgás.

1993 | Transgás

Formação da Transgás

Formação da Transgás - Sociedade Portuguesa de Fornecimento de Gás Natural, S.A., atualmente designada por Galp Gás Natural, S.A.

de 1940 a 1989

1989 | GDP

Criação da GDP
É inaugurada uma nova política energética nacional. Cria-se a GDP - Gás de Portugal, S.A., tendo por missão o fornecimento de gás natural ao país.

1982 | E&P em Angola

E&P em Angola
Entrada no negócio de Exploração & Produção em Angola, com uma participação no bloco 1/82.

1978 | Refinaria de Sines

Refinaria de Sines inicia laboração
A refinaria de Sines inicia a sua laboração.

1978 | Galp

Marca Galp
Nasce a marca GALP.

1977 | Direção de pesquisa e produção

Petrogal cria direção de pesquisa e produção
A Petrogal cria a direção de pesquisa e produção, para a participação nas concessões em áreas onshore em Portugal e levantamento de oportunidades na pesquisa petrolífera em Angola.

1976 | Petrogal

Constituição da Petrogal
É constituída a Petrogal, resultante da fusão das quatro empresas nacionalizadas (SACOR, CIDLA, SONAP e PETROSUL).

1975 | Nacionalização da SACOR, CIDLA, SONAP e PETROSUL

Nacionalização da SACOR, CIDLA, SONAP e PETROSUL
São nacionalizadas as sociedades petrolíferas SACOR, CIDLA, SONAP e PETROSUL.

1972 | Petrosul

Criação da Petrosul
Nasce a Petrosul, Sociedade Portuguesa de Refinação de Petróleos.

1971 | Complexo Industrial de Sines

Arranque do Complexo Industrial de Sines
É desencadeado o Projeto do Complexo Industrial de Sines, constituído por uma refinaria e uma fábrica de petroquímica de olefinas, sendo adjudicado ao grupo SONAP-CUF (Petrosul)

1969 | Refinaria do Porto

Refinaria do Porto inicia laboração
Inicia laboração a refinaria do Porto, propriedade da SACOR.

1961 | Fábrica de Cabo Ruivo

Arranque da fábrica de Cabo Ruivo
Arranca a fábrica de gás de cidade, em Cabo Ruivo.

1960 | Sacor Marítima

Constituição da Sacor Marítima

É constituída a empresa Sacor Marítima, para movimentação por via marítima dos produtos petrolíferos entre os portos portugueses.

1957 | Sociedade Portuguesa de Petroquímica

Constituição da Sociedade Portuguesa de Petroquímica
É constituída a Sociedade Portuguesa de Petroquímica, SARL, para produção de gás de cidade, amoníaco e hidrogénio.

1944 | Fábrica da Matinha

Inauguração da fábrica de gás da Matinha
É oficialmente inaugurada a fábrica de gás da Matinha.

1940 | Refinaria de Cabo Ruivo

Inauguração da refinaria de Cabo Ruivo

É inaugurada a 1ª refinaria portuguesa, em Cabo Ruivo, propriedade da SACOR, com capacidade para abastecer 50% do mercado, ou seja cerca de 300 mil toneladas por ano.

de 1890 a 1939

1939 | CIDLA

Constituição da CIDLA
É constituída a CIDLA para distribuição de gás butano e propano importado em Portugal.

1938 | SACOR

Criação da SACOR
É criada a SACOR, empresa concessionária da refinação de petróleos em Portugal, ficando decidida a construção de uma refinaria.

1933 | Terminal de Leixões

Inauguração do terminal de Leixões
É inaugurado o teminal petrolífero no porto de Leixões.

1933 | SONAP

Criação da SONAP
Nasce a SONAP, uma empresa de capital misto francês e português, que tem como principal objetivo o desenvolvimento da atividade comercial e distribuidora de produtos petrolíferos no mercado nacional e em algumas das ex-colónias, nomeadamente Angola e Moçambique.

de 1840 a 1889

1846 | Arranque do sistema de gás iluminante

Iluminação pública de Lisboa concedida à Companhia Lisbonense
É atribuída a concessão de iluminação pública de Lisboa à Companhia Lisbonense de Iluminação a Gás e arranca o sistema de gás iluminante.

Ação Galp Energia

+ informação »
 
= igual a