Você está aqui: Início > Investidor > Dívida > Aquisição e alienação de obrigações próprias
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Aquisição e alienação de obrigações próprias 
 

Na Assembleia Geral de acionistas realizada no dia 12 de maio de 2017 foi aprovada a proposta referente à aquisição e alienação de obrigações próprias.

 

Assim, o Conselho de Administração da Galp pode decidir sobre a aquisição e alienação de obrigações próprias com base nos termos constantes da proposta:

 

  • o Conselho de Administração poderá decidir sobre a aquisição ou alienação de obrigações próprias no prazo de dezoito meses a contar da data de deliberação em Assembleia Geral;
  • quando a aquisição se destine à amortização, total ou parcial, das obrigações adquiridas, o limite máximo de aquisição será até ao número total de obrigações de cada emissão realizada; quando a aquisição se destine a outro fim, o número de obrigações a adquirir não poderá exceder 10% do montante nominal agregado da totalidade de obrigações emitidas, deduzidas de alienações efetuadas;
  • o momento da aquisição será determinado pelo Conselho de Administração, tendo em conta a situação do mercado, os objetivos visados com a aquisição, as conveniências e obrigações da Sociedade, podendo ser efetuada por uma ou mais vezes, nas proporções que forem determinadas;
  • » o momento da alienação será também determinado pelo Conselho de Administração, tendo em conta a situação do mercado, os objetivos visados com a alienação, as conveniências e obrigações da sociedade, podendo ser efetuada por uma ou mais vezes, nas proporções que forem determinadas.

 
Para informação detalhada sobre os termos relativos à aquisição e alienação de obrigações próprias, consulte abaixo a proposta aprovada pela Assembleia Geral, cuja versão prevalece.



Atualizado em: 23 Mai 2017

Ação Galp Energia

+ informação »
  Atualizações RSS subscrever »
  Alertas Email subscrever »
 
= igual a