Você está aqui: Início > Investidor > ... > Lula > Projeto Lula/Iracema | Brasil
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Projeto Lula/Iracema | Brasil 
 

A 5.000 metros abaixo do nível do mar e sob uma camada de sal com mais de 1 km de espessura, encontram-se as maiores reservas de petróleo e de gás natural descobertas nos últimos 40 anos. Trata-se do pré-sal, situado na bacia de Santos ao largo da costa brasileira. O principal projeto da Galp Energia na região é o desenvolvimento do campo Lula/Iracema, no bloco BM-S-11. 

O projeto Lula/Iracema, no bloco BM-S-11 no pré-sal da bacia de Santos, iniciou a produção comercial em 2010 através da FPSO Cidade de Angra dos Reis, tendo sido instaladas duas FPSO adicionais até ao final de 2014. É esperado o arranque de sete FPSO adicionais no âmbito do plano de desenvolvimento do campo.


A principal prioridade da Galp Energia e dos seus parceiros é assegurar a execução do projeto Lula/Iracema dentro dos prazos e dos custos previstos. Para o efeito, o consórcio tem vindo a monitorizar os trabalhos nos estaleiros contratados para a construção das unidades FPSO, com vista a antecipar e a mitigar potenciais riscos de execução no plano de desenvolvimento.


No decorrer de 2014, foram alcançados importantes progressos na execução do projeto, com destaque para:


i) produção estabilizada da FPSO #1 na área de Lula Piloto;
ii) atingido plateau de produção da FPSO #2, na área de Lula Nordeste (NE), 15 meses após o início de produção, antes do inicialmente previsto;
iii) início de operação da FPSO #3, a primeira unidade instalada na área de Iracema, nomeadamente em Iracema Sul.

 

Plano de desenvolvimento


O plano de desenvolvimento compreende a entrega de um total de 10 unidades FPSO no campo Lula/Iracema, sendo que três já se encontram em operação. As restantes unidades FPSO estão em construção: destas, três são alugadas e fabricadas fora do Brasil; quatro são adquiridas e com trabalhos de construção a decorrerem maioritariamente naquele país.

 

Unidades FPSO em produção

 

FPSO Cidade de Angra dos ReisPROJETO LULA PILOTO – FPSO CIDADE DE ANGRA DOS REIS

A FPSO Cidade de Angra dos Reis (FPSO #1), com capacidade de produção de 100 kbopd, está em operação desde 2010, tendo produzido, durante 2014, de forma estável perto da sua capacidade máxima.
Em 2014, a produção foi maioritariamente proveniente de quatro poços produtores, o que mostra a excelente produtividade do reservatório. No final de 2014, foi interligado à FPSO o quinto poço produtor na área de Lula Piloto, o primeiro poço sub-horizontal na bacia de Santos.

 

 

FPSO Cidade de ParatyPROJETO LULA NE – FPSO CIDADE DE PARATY
A FPSO Cidade de Paraty (FPSO #2), com capacidade de produção de 120 kbopd, iniciou produção em 2013. No primeiro semestre de 2014, foram instalados dois sistemas de buoyancy supported risers (BSR), que permitiram a interligação dos poços à FPSO.
Apesar das restrições verificadas no início dos trabalhos de instalação no projeto limítrofe na bacia de Santos, sobretudo devido a condições atmosféricas, a produtividade média de cerca de 30 kbopd por poço permitiu que se atingisse a capacidade máxima de produção com apenas quatro poços produtores e em 15 meses após o início de produção, face ao plano inicial de 18 meses.

 

 

FPSO Cidade de MangaratibaPROJETO IRACEMA SUL – FPSO CIDADE DE MANGARATIBA
A FPSO Cidade de Mangaratiba (FPSO #3), com capacidade de produção de 150 kbopd, entrou em operação em outubro de 2014, na área de Iracema Sul. O plateau de produção deverá ser atingido durante o primeiro semestre de 2016.

 

 

 

Oportunidades de maximização de valor

 

A Galp Energia está comprometida com a prossecução de oportunidades de criação de valor na fase de desenvolvimento dos projetos, fomentando uma forte cultura de Investigação & Tecnologia (I&T), nomeadamente para análise e implementação das melhores técnicas e soluções tecnológicas.


Para este efeito, e particularmente no caso do projeto Lula/Iracema, o consórcio reúne periodicamente com o intuito exclusivo de discutir as diferentes técnicas e tecnologias a implementar. Neste contexto, têm vindo já a ser desenvolvidos trabalhos para a maximização do retorno do projeto, nomeadamente para aumentar a recuperação de petróleo. De facto, todos os equipamentos alocados aos atuais projetos do pré-sal da bacia de Santos estão preparados para garantir a implementação de técnicas para melhoria da recuperação de recursos, como é o caso da tecnologia WAG, permitindo a injeção alternada de água, gás natural e CO2 no reservatório.


Têm também vindo a ser realizados estudos no âmbito da garantia de escoamento da produção e da otimização do desenvolvimento ao longo do ciclo de vida do projeto, nomeadamente através da antecipação de produção, da instalação de novas soluções com impacto no debottleneck da capacidade das FPSO, como seja através da separação e reinjeção de fluidos ao nível do leito do mar, e da implementação de técnicas para estender o período de plateau de produção.

 

Adicionalmente, o consórcio contratou, em 2014, sísmica 4D, o que permitirá aferir a distribuição espacial das características dos reservatórios, permitindo definir as melhores condições e possibilidades de produção, fornecendo informações sobre a variação de saturação de fluidos e pressão ao longo da fase de produção.

 

Em 2014, destaca-se sobretudo a otimização do processo de perfuração e completação de poços.



Atualizado em: 09 Fev 2015

Ação Galp Energia

+ informação »
  Atualizações RSS subscrever »
  Alertas Email subscrever »
 
= igual a