Você está aqui: Início > Investidor > ... > Lula > Projeto Lula | Brasil
     
  fechar
partilhar
 
fechar
 

Projeto Lula | Brasil 
 

A 5.000 metros abaixo do nível do mar e sob uma camada de sal com mais de 1 km de espessura, encontram-se as maiores reservas de petróleo e de gás natural descobertas nos últimos 30 anos. Trata-se do pré-sal, situado na bacia de Santos ao largo da costa brasileira

Desenvolvimento do campo Lula

 

Navio-plataformaO plano de desenvolvimento do projeto Lula/Iracema, no bloco BM-S-11 no pré-sal da bacia de Santos, engloba a instalação de 10 FPSO até 2017, com uma capacidade total estimada de 1,4 mbopd, das quais duas já estão em produção. A produção do campo teve início no final do ano de 2010, através da FPSO Cidade de Angra dos Reis (FPSO #1).

 

O projeto de desenvolvimento dos campos Lula/Iracema prevê a realização de atividades de avaliação para a maximização da obtenção de dados sobre o reservatório nas localizações onde está prevista a colocação de unidades de produção permanentes, incluindo a realização de poços de avaliação e de EWT. 

 

Em 2012, foram ligados dois poços à FPSO #1, a primeira FPSO de dimensão comercial dos campos Lula/Iracema: um poço injetor e um poço produtor.

 

No decorrer de 2013, o consórcio para o desenvolvimento do bloco BM-S-11 alcançou importantes progressos na execução do projeto Lula/Iracema, com destaque para: o arranque da produção da FPSO Cidade de Paraty (FPSO #2), na área de Lula Nordeste (NE); a produção estabilizada da FPSO #1 na área de Lula-1; a perfuração de poços produtores e injetores e interligação de quatro poços de desenvolvimento; início do teste WAG na área de Lula-1; a perfuração de nove poços para aquisição de dados do reservatório (RDA); o aluguer de duas FPSO adicionais no mercado internacional e o início de dois testes de longa duração (EWT). 

 

Na área de Lula NE, foi concluída em janeiro de 2014 a ligação do segundo poço produtor à FPSO #2 através de um sistema de risers flexíveis. O poço foi desconectado no final do mês de março para ser instalado o segundo sistema de Buoyancy Supported Risers (BSR), o BSR Norte. Também no primeiro trimestre, foi concluída a instalação do primeiro sistema de BSR, o BSR Sul, assim como a ligação a este BSR dos segundo e terceiro poços produtores permanentes através de risers rígidos.  

Em fevereiro de 2014, a FPSO Cidade de Paraty foi ligada ao gasoduto Lula-Mexilhão. Durante o segundo trimestre de 2014, foram ligados o segundo e terceiro poços produtores permanentes à FPSO Cidade de Paraty através do BSR Sul. O segundo poço produtor começou a produzir em maio com uma produtividade de 31 kbopd, o terceiro poço produtor foi ligado durante o mês de junho e iniciou produção em setembro, e o quarto poço produtor permanente foi ligado à FPSO #2 tendo iniciado produção em agosto. Em setembro de 2014, a FPSO #2 atingiu a capacidade máxima de produção, 15 meses após a sua entrada em operação. Durante o quarto trimestre de 2014, foi ligado o quinto poço produtor permanente à FPSO #2, que contribui para uma maior flexibilidade da produção e uma melhor gestão do reservatório.

 

Já no decorrer do quarto trimestre, no dia 14 outubro, a FPSO Cidade de Mangaratiba (FPSO #3) iniciou a produção, através de um poço produtor. O plano de desenvolvimento desta FPSO, alocada à área de Iracema Sul, contempla a interligação a oito poços produtores e oito injetores. A FPSO atingiu, já no início de 2015, uma produção de cerca de 65 kbopd, após a interligação, durante 2014, de dois poços produtores e o primeiro poço injetor de gás. O plateau de produção deverá ser atingido durante o primeiro semestre de 2016.

 

O consórcio deu continuidade, ao longo de 2014, à execução do projeto do gasoduto Cabiúnas, tendo obtido em 2014 as licenças necessárias por parte do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). A instalação offshore, que teve início no segundo trimestre de 2014, continua a decorrer como previsto. O gasoduto deverá ser instalado e pré-comissionado até ao final de 2015.

 

Os trabalhos de construção das restantes unidades FPSO destinadas ao campo Lula/Iracema continuaram durante o quarto trimestre de 2014. O casco da FPSO Cidade de Itaguaí (FPSO #4) foi convertido num estaleiro da Cosco, na China, e a unidade já se encontra no estaleiro da Brasfels, no Brasil, para a integração dos topsides. A FPSO deverá iniciar a produção no quarto trimestre de 2015 na área de Iracema Norte.

 

No decorrer de 2014, o desenvolvimento do bloco BM-S-11 alcançou importantes progressos na execução do projeto Lula/Iracema, com destaque para: capacidade máxima de produção da FPSO #2, na área de Lula NE, três meses antes do inicialmente previsto; início de operação da FPSO #3, a primeira unidade instalada na área de Iracema, nomeadamente em Iracema Sul; produção estabilizada da FPSO #1 na área de Lula-1.

 

Está previsto para o final de 2015 o início da produção na área de Iracema Norte, através da FPSO Cidade de Itaguaí (FPSO #4), cujos trabalhos de construção decorrem de acordo com o plano. De destacar que a FPSO #4 já se encontra no Brasil desde o início de janeiro de 2015, no estaleiro de Brasfels, para a integração dos topsides. As restantes unidades têm entrega prevista a partir de 2016, antecipando-se que sejam alocadas às áreas Central, Alto, Sul, Extremo Sul, Norte e Oeste do campo Lula.

  

Relativamente às seis FPSO replicantes, continuaram a ser tomadas iniciativas, para garantir a entrega atempada das mesmas. Adicionalmente para mitigar o risco de execução do projeto, o consórcio alugou FPSO adicionais para serem alocados ao desenvolvimento das áreas de Lula/Iracema. 



Atualizado em: 09 Fev 2015

Ação Galp Energia

+ informação »
  Atualizações RSS subscrever »
  Alertas Email subscrever »
 
= igual a